Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

PRÁ QUE SERVE A OPINIÃO DO MACHO CASADO?

Legal encontrar uma pessoa que possamos conviver de forma comum. Isto se chama de casar ou união-estabilizar-se!
Legal mesmo é a fase que antecede a escolha do viver em comum, num mesmo teto. Antes, no namoro ou noivado, a fala e o jeito de ser do homem é levado em conta. Tudo é festa! O coitado conta a piada mais sem graça da mesa e sua amada ri compulsivamente.
Vale tudo! o homem fica engraçado ao lado da namorada ou noiva.Faz-se tudo em nome da conquista! Improvisa-se lazer, a saída noturna ou qualquer outra coisa fora do previsível.
Contudo, quando casa? pronto! tudo muda!Se contar a mesma piada, ela deixa de ser engraçada imediatamente. Ainda leva uma bronca:
- " que isto amor? que mico é este? Estamos juntos ou casados e não pega bem um pessoa da sua estirpe ficar caindo no ridículo uma piada dessa natureza totalmente sem graça".
Primeiro baque! a mesma piada escancaradamente engraçada, num toque de mágica conjugal, tornou-se sem graça.
Sabe aqueles gostos que o cara tinha antes do casamento? já era agora vale a voz feminina.Aquele CDs bregas que você comprou, tocava e ela curtia exageradamente? Agora, vai para lixo.A ordem é andar cadenciado ou à imagem e semelhança da mulher.
Ah! já tentou comprar um quadro de pintura por conta própria e colocá-lo na parede sem consultá-la? Experimente e verás o que vais lhe acontecer.
Quando se casa, o cara continua sem casa. Tudo como dantes nos tempos da casinha da mamãe.Enquanto que tu vais brincar de caçar na rua, mostrar que é macho de primeira linha, a sua irmã vai aprendendo a ter o monópolio da casa.- seus pais encute na sua cabeça de que casa é coisa de mulher, de mãe, esposa. E que o lugar do homem é ficar na rua o dia inteiro brincando de ser macho forte, garanhão e conquistador.
Assim, caminha o homem-macho acreditando que ao caçar a mulher será o senhor absoluto da sua vida, do seu corpo, da sua sexualidade e da moradia em comum.- Somos machos, mais porém oprimidos! Embarcarmos na doce fase do namoro sem dá conta de que estamos caminhando para um lugar que não nos pertence e não sabemos como administrá-lo.
Resultado! continuamos sem casa e sem direito de expressar a vontade e gosto. A sensação que se tem que a casa conjugal é um lugar de mera hospedagem.
Somos algo sem opinião na estrada das companheiras. Descubrimos que não sabemos nada de casa e da essência feminina.
Andar com a companheira ou esposa em loja torna-se uma atividade penosa, sofrida e martíria. Descobrimos que o nosso tempo é diferente delas. Isto quando sabemos como roda o tempo do universo feminino.
Descobrimos que ao irmos em qualquer loja, com as digníssimas, nossas opiniões têm pouco poder de persuação.
Elas perguntam: -" o que você acha desse produto?
Tentamos responder qualquer coisa que possa convencê-la a levar o tal produto. Resultado: não serviu de nada a nossa opinião.
Afinal, tenho uma grande curiosidade em perguntar as mulheres, indagando-lhes:
para que serve a companhia do homem numa loja com a sua grande amada?nossas opiniões serão levadas em conta?
Aliás, se um dia fosse magistrado da justiça iria colocar, como pena alternativa a um réu que cometeu um crime de menor potencialidade, andar com as mulheres durante um ano, como forma de punição.
Certamente o coitado ficaria curado diante de novas tentações delituosas.
Homens casados! machos oprimidos!Está na hora de promovermos a nossa reconstrução existencial e de gênero!É hora de aprendermos a dividir o poder na vida conjugal.A casa deve ser dividida. O nosso gosto deve ser levado em conta.- Temos que conquistar a confiança das mulheres, para que possamos assegurar os nossos gostos, vontades e preferencias na escolha das coisas que regem a vida doméstica numa vida conjugal.É hora de mudarmos esta história de monopólio do gosto feminina dentro da casa que julgamos ser dos dois!Para isto é necessário as seguintes mudanças de mentalidades:- temos que brincar de bonecas a exemplo das nossas irmãs. Fiquemos tranquilos, pois isto jamais vai provocar mudança do nosso sexo.- Temos que pedir aos nossos amigos e amigas que nos dêem casinhas de barbie ou de Hello Kitty. Brincar de arrumar aqueles brinquedinhos de casinha é um bom começo para reincorporamos a nossa masculinidade, outrora vilenpediada pela ideologia machista.- Bom seria se alguns deixassem de fazer o seu xixi-macho no tampos dos vasos. Podem sentar no trono e fazer tranquilo que ao sair do banheiro não sofrerá qualquer processo de metamorfose e matrix. Continuaremos homens.Ah! seria bom se alguns deixassem de coçar a região genitália como se tivesse uma doença incurável alojada nas coisas. É constrangedor para as companheiras.- Parar de cuspir na rua também contribuiria muito para sermos confiáveis.- Faça um curso de culinária, de pintura, de balé que ajudará em muito na busca da confiança plena por parte das mulheres. Além disto, serve para desenvolver a nossa sensibilidade masculina.Eis os primeiros passos a serem tomados para que possamos, finalmente, ter o direito de escolher coisas para serem colocadas na casa, sem risco de errarmos e no final ouvirmos aquela frase trêmula e introspecta: " não te disse".Confrontá-la com risco do "não te disse" ou reaprender a ser um ser masculino?Eis a questão! melhor pensarmos primeiro antes de encará-la ou de querer mostrar o lado troglodita que nos fora imposto pela nossa sagrada tradição: família, escola e igreja.O homem macho, tosco e anti-doméstico perdeu-se diante da mulher dos tempos do pós-feminismos.O tempo urge! É hora para criarmos o movimento pós-machistas.-