Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

TO VERGONHA DO MEU DIPLOMA

A cena Medievalista emergida nas catumbas cerebrais dos alunos pseudomoralista na UNIBAN nos remete ao tempo da mulher bruxa e feiticeira, queimadas pela moral cristã e moral Ocidental. Esses mesmos alunos e alunos moralistas, talibânicos e idiotizados pela individualismo bestial e autonomatos, sáo os mesmos que trapaceiam nas provas e furtam textos acadêmicos. Que cheiram cocainas e ainda vão as suas igrejas para aliviarem as culpas e suas estupidez de vigilante da boa moral babaca. A universidade empresarial virou esta coisa mórbida, nauseante e vomitável. Se preocupam apenas em ter alunos para aumentarem suas receitas. A educação privada, com raras exceções, não tem compromisso com a ética, cidadania, solidariedade e diversidade humana. Querem alunos que possuem cartões de créditos, carros luxuosos e roupas cobertas de etiquetas. Estes são os critérios de alunos-clientes. Esses mesmos alunos são os mesmos que cassam professores dotados de titularidade acadêmica. Sáo os mesmos alunos delatores que abrem a boca para falar merda, preconceito e idiotice. Quando penso nos meus diplomas de graduaçao fica morrendo de vergonha. A vontade que eu tenho é de resgá-los. Afinal, antes de entrar a faculdade já tinha um saber denso, refinado e já lia muito. Fui para faculdade apenas para tirar o diploma. Afinal, é duro ficar ouvindo merda de professores que apenas se transformaram em papagaio de piratas e se ocupam apenas em repetir os escritos de mentes alheias. O curso de direito é um bom exemplo de um curso que o aluno fica restrito a repetir código e assimilar o pensamento de doutrinadores e jurisprudencialistas. Tenho asco e raiva dos metastases graduados Caetano Veloso e ignara Regina Duarte. Tenho receio dos graduados, pois em 500 anos de governança nada tinha mudado no Brasil. Prefiro ir a casa da minha mãe semi-escolarizada e ouvir as sua sabias e palavras a ouvir um diplomado asno, reprodutor e sem criatividade. Viva Geisa. Visa as mullheres libertárias vítimas de alunos bossais da cidade mais rica do País e mais talibânica em termo de hipocrisia e moralismo. Tenho nojo dos graduados e pós graduados!!!