Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 4 de novembro de 2008

HAMILTON - O ORGULHO DA COMUNIDADE NEGRA INTERNACIONAL

Não assisti a corrida por não suportar a voz de Galvão Bueno com a sua linguagem eivada de patriotismo brega e sem sentido no atual mundo da globalização. Afinal, patriotismo e nacionalismo tornaram-se discursos fora de moda. Preferi desligar a TV e fazer algo mais criativo. Contudo, no dia seguinte fiquei sabendo da conquista de Hamilton ao segundo título da Formula 1. Ao assistir os jornais empresarias da Tv, observar a falta de educação e respeito por parte da elite que foi á corrida contra a pessoa de Hamilton.
Aliás, essa elite nunca nos surpreendeu. É uma elite mal-educado, kitsch, brega, truculenta, sem cérebro e sem senso de rídiculo. Seus filhos costumam ser presos no exterior pelos seus delitos. É uma elite idiota que posa de civilizada no Brasil, mas lá fora ninguém gosta dela. Somos difamados lá fora por conta desta elite esquizofrênica e imbecibilizada.
Comporta-se como os seus ancestrais que por aqui invadiu as terras indígenas. É uma elite que esforça-se para ter etiqueta como forma de esconder a sua mediocridade.
As vaias intentadas contra Hamilton foram vaias de permeadas de racismo e preconceito. São vaias raivosas de quem um dia escravizou o negro e teve que engolir a vitória de negro sobre os seus comparsas de raça. É duro ter que engolir a saliva quando depara com a vitoria de um negro.
Sei o que é isto! Sou filho de escravo que venci na vida sem ter direito a terras generosas dadas aos imigrantes decantes europeus que aportaram por aqui na década de 20 do século passado. Sou filho de escravo que venci na vida sem ter direito a subsídio, subvenção e tantos outros artifícios fiscais dados aos empresários euro-brasileiros.
É duro assisti um negro ganhando o troféu da formula 1 num lugar que os brancos predominam.
As vaias da elitizinha ecoadas no autódromo em SP são vaias de uma elite ressentida, incompetente e boçal que construiu Pais com o sangue dos índios e negros e nunca conseguiram chegar a lugar nenhum no plano interncional.
Graças a essa elite que passamos vergonha na Europa quando nos indagam sobre os por quês do racismo, a desigualdade social e o desmatamento da amazônia.
Sempre que chego na Europa procura dizer que tudo que falam do pais de forma negativa condiz com a verdade.
Digo às pessoas que num país onde tivemos na primeira geração de invasores, a presença de portugueses delinquentes e na segunda, imigrantes europeus decadentes e flagelados pela grande depressão de 29, não poderiam esperar que tivéssemos uma elite refinada, culta e humanista.
A elite brasileira, mais uma vez, se manifestou na autódromo o seu lado habitual e recorrente de gentes ignóbeis e ridículas que continuam a dominar no Legislativo, Judiciário e Executivo, mesmo com Lula no Poder.
Não sou patriótico! Sou negão, consciente da história e da mediocridade existencial e ontológica dessa coisa aí do andar de cima, chamada elite.
VIVA HAMILTON E LEVA O ABRAÇO DOS NEGROS CONSCIÊNTES E PAN-NACIONALISTAS!

Nenhum comentário: